bodog

CONFIRA

bodog - Arroba do boi no Brasil

O mercado físico do boi gordo voltou a apresentar negociações acima da referência média nesta segunda-feira (27)

boi gordo, boiada, pecuária, gado, rebanho, bovino, goiás
Foto: Governo de Mato Grosso

Omercado físico do boi gordo voltou a apresentar negociações acima da referência média nesta segunda-feira (27).

As escalas de abate estão apertadas, exigindo que a indústria atue de maneira mais decisiva na compra de gado, com a necessidade de manter uma programação confortável para atender à demanda de final de ano.

Na avaliação do analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a demanda de carne bovina no final de ano é uma prerrogativa relevante, proporcionando sustentação aos preços domésticos da arroba do boi gordo.

Outro aspecto a ser mencionado é que há pouca oferta de animais terminados no mercado, consequência do regime pluviométrico bastante irregular no centro-norte.

Preço da arroba do boi sobe em todas as praças

Assim, os preços da arroba do boi gordo subiram em todas as praças pesquisadas pela SAFRAS & Mercado. Em São Paulo, Capital, a referência média ficou em R$ 241. Já em Goiânia, Goiás, a indicação foi de R$ 237. No interior de Minas Gerais, a arroba teve preço de R$ 237. Em Dourados (MS), a indicação foi de R$ 231. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 208.

Atacado também sobe

Os preços da carne bovina seguem firmes no atacado. O ambiente de negócios ainda sugere alta das cotações no curto prazo, considerando o auge do consumo no mercado doméstico.

A entrada do décimo terceiro salário, somada a outras bonificações comuns ao período, além da criação de postos temporários de emprego, motivam a alta dos preços ao longo da cadeia produtiva.

O quarto traseiro segue cotado a R$ 19,10 por quilo, o quarto dianteiro permanece no patamar de R$ 12,90 por quilo, e a ponta de agulha ainda é precificada a R$ 13 por quilo.

bodog Mapa do site